Fontes e acervos na escrita da história de uma instituição educacional:

o lugar do Centro de Educação e Memória do Atheneu Sergipense (CEMAS)

  • João Paulo Gama Oliveira
  • Eva Maria Siqueira Alves
  • Rosemeire Marcedo Costa
  • Simone Silva da Fonseca

Resumo

Fundado em 24 de outubro de 1870, o sesquicentenário Atheneu Sergipense, em atividade ininterruptamente, consagra-se como uma das mais significativas instituições educacionais brasileiras, trazendo orgulho para os que por lá passaram e que disseminam, com fôlego, seus ensinamentos. O foco do presente artigo foi inventariar os estudos que tomaram o Atheneu Sergipense como locus investigativo em diferentes aspectos, e identificar as fontes e as instituições de guarda a que os autores recorreram. O texto destaca os principais acervos consultados e a relevância do Centro de Educação e Memória do Atheneu Sergipense (CEMAS) para tais estudos. Por fim, exibe outras possibilidades de pesquisas a partir do profícuo material arquivado no CEMAS, que tem por objetivo salvaguardar e disponibilizar, para fins investigativos, a documentação produzida por aquela “Casa de Educação Literária”.