A pandemia como propulsora de insurgências no por vir do ensino de biologia e educação ambiental

alguns apontamentos

  • Marco Antonio Barzano Universidade Estadual de Feira de Santana
  • André Carneiro Melo RIZOMA-UEFS
Palavras-chave: Educação Ambiental. Ensino de Biologia. Pandemia

Resumo

No momento em que o Brasil atravessa um período de barbárie com o anúncio de mais de cento e vinte mil mortes por conta da pandemia relacionada ao Covid-19, pretendemos abordar no presente artigo um ensaio acerca dos efeitos em relação à educação ambiental articulada ao ensino de Ciências e Biologia, com o objetivo de vislumbrar e contribuir para uma educação mais humanizadora. Defendemos, com base no pressuposto epistemológico decolonial, a compreensão de que os saberes ancestrais, das comunidades tradicionais, possam produzir sentidos e significados para a construção dos currículos das margens. Desse modo, nos inspiramos na experiência de uma pesquisa desenvolvida em uma comunidade quilombola e que, a partir dela, ampliamos nosso repertório teórico e metodológico, que tem sido inspirador para outras pesquisas em andamento, além de partilharmos nossas reflexões acerca do contexto atual e daquilo que podemos contribuir para um tempo por vir.

Biografia do Autor

Marco Antonio Barzano, Universidade Estadual de Feira de Santana
Doutor em Educação pela Universidade Estadual de Campinas. Professor Titular da Universida de Estadual de Feira de Santana. Programa de Pós-Graduação em Educação (UEFS) e Programa de Pós-Graduação em Ensino, Filosofia e História das Ciências (UFBA- UEFS). Experiência na área de Educação, com ênfase em Educação Ambiental; Currículo e Culturas; Formação de Professores e Currículo de Biologia; Museus de Ciências e Divulgação Científica.
André Carneiro Melo, RIZOMA-UEFS

Doutor em Ensino, Filosofia e História das Ciências pela Universidade Federal da Bahia/Universidade Estadual de Feira de Santana. Mestre em Comportamento e Biologia Animal pela Universidade Federal de Juiz de Fora/MG e Biólogo pela Universidade Estadual de Feira de Santana. É pesquisador associado do grupo RIZOMA (UEFS)

Referências

ANDRADE, Maria Carolina Pires; PICCININI, Cláudia. Educação Ambiental na Base Nacional Comum Curricular: retrocessos e contradições e o apagamento do debate socioambiental. IX Encontro de Pesquisa em Educação Ambiental. Anais... Juiz de Fora - MG 13 a 16 de agosto, 2017. Disponível em: http://epea.tmp.br/epea2017_anais/pdfs/plenary/0091.pdf. Acesso em 04 de setembro de 2020.
ARROYO, Miguel G. Currículo, território em disputa. 1ª ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2011. 376p.
ARROYO, Miguel G. Vidas Ameaçadas: exigências-respostas éticas da educação e democracia. Petrópolis, RJ: Vozes, 2019. 253p.
BARZANO, Marco Antonio L. Concepções de Meio Ambiente: um olhar sobre um curso de Licenciatura em Ciências Biológicas. Dissertação (Mestrado em Educação). Universidade Estadual de Campinas, 2000.
BEHREND, Danielle Monteiro; COUSIN, Cláudia da Silva; GALIAZZI, Maria do Carmo. Base Nacional Comum Curricular: o que se mostra de Referência à Educação Ambiental? Ambiente & Educação: Revista de Educação Ambiental. V. 23, N. 2, 2018. Disponível em https://doi.org/10.14295/ambeduc.v23i2.8425. Acesso em 04 de setembro de 2020.
BORBA, Rodrigo Cerqueira do Nascimento; ANDRADE, Maria Carolina Pires; SELLES, Sandra Escovedo. Ensino de Ciências e Biologia e o cenário de restauração conservadora no Brasil: inquietações e reflexões. Revista Insterinstitucional Artes de Educar. V. 5. N. 2. Maio-Ago, 2019. Disponível em https://doi.org/10.12957/riae.2019.44845. Acesso em 28 de agosto de 2020.
CASSIO, Fernando (Org.). Educação Contra a Barbárie: por escolas democráticas e pela liberdade de ensinar. São Paulo: Boitempo, 2019.
HOOKS BELL. Ensinando a transgredir: a educação como prática de liberdade. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2017.
CASTRO-GÓMEZ, Santiago; GROSFOGUEL, Ramón. El giro decolonial: reflexiones para una diversidad epistémica más allá del capitalismo global. Bogotá: Siglo del Hombre Editores, 2007. 308p. Disponível em http://www.unsa.edu.ar/histocat/hamoderna/grosfoguelcastrogomez.pdf. Acesso em 20 de janeiro de 2019.
FREIRE, Paulo. Pedagogia da esperança: um reencontro com a pedagogia do oprimido. – 21º Ed. – São Paulo: Paz e Terra, 1994.
GOMES, Nilma Lino. Relações Étnico-Raciais, Educação e Descolonização dos Currículos. Currículo sem Fronteiras. V. 12, N. 1, pp. 98-109, jan/abr, 2012. Disponível em http://www.curriculosemfronteiras.org/vol12iss1articles/gomes.pdf. Acesso em 20 de janeiro de 2019.
HERCULANO, Selene. Lá como cá: conflito, injustiça e racismo ambiental. I Seminário Cea-rense contra o Racismo Ambiental. Anais..., Fortaleza, 20 a 22 nov. 2006.
KRENAK, Ailton. Ideias para adiar o fim do mundo. 1º ed. – São Paulo: Companhia das Letras, 2019.
MALOMALO, Bas'ilele. Filosofia do Ubuntu: Valores civilizatórios das ações afirmativas para o desenvolvimento. Curitiba: CRV, 2014. 152p.
NOGUERA, Renato. Ubuntu como modo de existir: elementos gerais para uma ética afroperspectivista. Revista da ABPN. V. 3, N. 6, p. 147-150, 2011. Disponível em https://filosofia-africana.weebly.com/uploads/1/3/2/1/13213792/renato_noguera_-_ubuntu_como_modo_de_existir.pdf. Acesso em 03 de setembro de 2020.
RAMOSE, Mogobe B. The ethics of ubuntu. In: COETZEE, Peter H.; ROUX, Abraham P.J. (eds). The African Philosophy Reader. New York: Routledge, 2002, p. 324-330.
REIGOTA, Marcos. A contribuição política e pedagógica dos que vêm das margens. Revista Teias. Ano 11, n. 21. jan/abr. pp. 191-208, 2010. Disponível em https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/revistateias/article/view/24105/17083. Acesso em 20 de agosto de 2020.
RUFINO, Luiz. Exu o pedagogo e o mundo como escola. Anos Iniciais em Revista. V. 3, n. 3. 2019. Disponível em https://www.cp2.g12.br/ojs/index.php/anosiniciais/article/view/2234/1531. Acesso em 25 de agosto de 2020.
SANTOS, Boaventura de Sousa; MENESES, Maria Paula (Orgs). Epistemologia do Sul. São Paulo: Cortez, 2010. 638p.
SANTOS, Boaventura de Sousa. A Cruel Pedagogia do Vírus. Coimbra: Edições Almedina, 2020.
SATO, Michèle et al. (Org). Os Condenados da Pandemia. Cuibá, MT, Editora Sustentável, 2020. Disponível em https://gpeaufmt.blogspot.com/p/textos-escolhidos.html. Acesso em 03 de setembro de 2020.
SELLES, Sandra Escovedo. Desafios da formação e da prática de professores de Biologia: abrindo janelas. In: BARZANO, Marco Antonio Leandro; FERNANDES, José Artur B.; FONSECA, Lana Cláudia de Souza; SHUWARTZ, Marilda. Ensino de Biologia: experiências e contextos formativos. Goiânia: Associação Brasileira de Ensino de Biologia, 2014.
SILVA, Silvana do Nascimento; LOUREIRO, Carlos Frederico Bernardo. As Vozes de Professores-Pesquisadores do Campo da Educação Ambiental sobre a Base Nacional Comum Curricular (BNCC): Educação Infantil ao Ensino Fundamental. Ciência & Educação. V. 26, 2020. Disponível em http://doi.org/10.1590/1516-731320200004. Acesso em 03 de setembro de 2020.
SÜSSEKIND, Maria Luiza; REIS, Graça Regina Franco da Silva; PEREIRA, Francisco. Parasita(s), contaminados, invisíveis, abissais. Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental. Dossiê temático “Imagens: resistências e criações cotidianas, 2020. Disponível em https://doi.org/10.14295/remea.v0i0.11331. Acesso em 03 de setembro de 2020.
TOLEDO, Victor & BARRERA-BASSOLS, Narciso. A Memória Biocultural: A Importância Ecológica das Sabedorias Tradicionais. Expressão popular, 2015.
Publicado
2020-10-29
Como Citar
Barzano, M. A., & Melo, A. C. (2020). A pandemia como propulsora de insurgências no por vir do ensino de biologia e educação ambiental: alguns apontamentos. Revista Sergipana De Educação Ambiental, 7(Especial), 1-15. https://doi.org/10.47401/revisea.v7iEspecial.14351