O Neodesenvolvimentismo do Agronegócio, a Sociedade do Consumo e o Ambiente:

reflexões para uma Educação Ambiental que se pretende Crítica

  • Thiago da Silva Oliveira Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro (IFRJ)
  • Alexandre Maia do Bomfim Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro (IFRJ)
Palavras-chave: Educação ambiental crítica. Neodesenvolvimentismo. Desenvolvimentismo e Meio Ambiente.

Resumo

No momento inicial deste trabalho, iniciamos com a crítica da própria Educação Ambiental (EA), sobretudo a que não problematiza questões centrais presentes nos discursos hegemônicos. Entre as críticas essenciais para nossos objetivos está ao consumismo, por meio dele chegamos ao estudo do Neodesenvolvimentismo, a reedição, com alterações importantes, do Desenvolvimentismo do Século XX – projeto latinoamericano que buscou a superação da situação de subdesenvolvimento da região. O Neodesenvolvimentismo ampliou o conceito do antigo desenvolvimentismo com a introdução de novos itens em sua pauta, como o Desenvolvimento Sustentável, por exemplo. Entretanto, o olhar ambiental dessa nova proposta se revelou pragmático e utilitarista, colocando o meio ambiente a serviço do lucro empresarial e depositando nele a expectativa de crescimento econômico. Nesse mesmo projeto a ascensão do Agronegócio passou a influenciar a educação, desde o nível médio até a pós-graduação. A EA decorrente de todo esse processo é conservadora, estanque e ingênua, o que contribui para a manutenção dos pressupostos desenvolvimentistas. Portanto uma Educação Ambiental que ser pretende Crítica deve extrapolar as fronteiras do sistema em que estamos inseridos, sem isso ela não será transformadora

Biografia do Autor

Thiago da Silva Oliveira, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro (IFRJ)

Mestre em Ensino de Ciências pelo Programa Pós-graduação em Ensino de Ciências.

Alexandre Maia do Bomfim, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro (IFRJ)

Professor Associado II do Programa de Pós-graduação em Ensino de Ciências (Propec) do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro (IFRJ).

Referências

ALMEIDA, L. F. R. Neonacionaldesenvolvimentismo e relações de classes nos governos Lula. Lutas Sociais, São Paulo, v.19 n.35, p.142-159, 2015.

ALMEIDA, P. R. O Brasil e o FMI Desde Bretton Woods: 70 Anos de História. Revista Direito GV, São Paulo. V.10, n.2, p. 469-496, 2014.

BASTOS, P. P. Z. A economia política do novo-desenvolvimentismo e do social desenvolvimentismo. Economia e Sociedade, Campinas, v. 21, n. Especial, p. 779-810, dez. 2012.

BOITO JR., A.; BERRINGER, T. Classes sociais, neodesenvolvimentismo e política externa nos governos Lula e Dilma. Revista de Sociologia e Política. v. 21, n. 47, p. 31-38, 2013.
BOMFIM, A. M.; TRINDADE, M. A. V. M.; SILVA, F.G.O.; OLIVEIRA, T. S. A Questão Ambiental na Educação Básica. Rio de Janeiro: Publit, 2015.

BOMFIM, A. M. O (Sub) Desenvolvimento (In)Sustentável: A Questão Ambiental nos países periféricos latino-americanos. In: Trabalho Necessário, Rio de Janeiro, ano 8, n. 10. Rio de Janeiro, UFF, 2010.

BRESSER-PEREIRA. Empresários, O Governo do PT e o Desenvolvimentismo. Revista de Sociologia e Política, v. 21, n. 47, P. 21–29, 2013.

______. Reflexões sobre o Novo Desenvolvimentismo e o Desenvolvimentismo Clássico. Revista de Economia Política, v.36, n.2, p. 237-265, 2016.

CEPÊDA, V. A. Inclusão, Democracia e Novo-Desenvolvimentismo: Um balanço histórico. Estudos Avançados. vol. 26 n. 75, São Paulo, 2012.

CHESNAIS, F.; SERFATI, C. “Ecologia” e condições físicas de reprodução social: alguns fios condutores marxistas. Crítica Marxista. n° 16. São Paulo: Editora Boitempo, 2003.

DELUIZ, N.; NOVICKI, V. Trabalho, Meio Ambiente E Desenvolvimento Sustentável: Implicações Para Uma Proposta De Formação Crítica. Boletim Técnico Senac, 2004.

FONSECA, P. C. D. Gênese e precursores do desenvolvimentismo no Brasil. Revista Pesquisa & Debate. São Paulo, Volume 15, n. 2 (26), pp. 225-256, 2004.

______. Desenvolvimentismo: a construção do conceito. In: DATHEIN, R. Desenvolvimentismo: o conceito, as bases teóricas, as políticas. Porto Alegre: Ed. UFRGS, 2015.

GUDYNAS, E. Estado Compensador y Nuevos Extractivismos. Nueva Sociedad, n. 237. 2012.

GUIMARÃES, M. A formação de Educadores Ambientais. 8. Ed. Campinas, SP: Papirus, 2012.

LAMOSA, R.; LOUREIRO, C. F. B. Agronegócio e Educação Ambiental: uma análise crítica. Ensaio avaliação e políticas públicas em educação. Rio de Janeiro, v.22, n.83, p.533-554, 2014.

LAYRARGUES, P. P. O Cinismo da Reciclagem: O significado ideológico da reciclagem da lata de alumínio e suas implicações para a educação ambiental. In: LOUREIRO, C. F. B.; LAYRARGUES, P. P.; CASTRO, R. S. Educação ambiental: repensando o espaço da cidadania. p. 179-219. São Paulo: Cortez. 2002.

LIMA, G. F. C.; Crise Ambiental, Educação e Cidadania: os desafios da sustentabilidade emancipatória. In: LOUREIRO, C. F. B.; LAYRARGUES, P. P.; CASTRO, R. S. Educação ambiental: repensando o espaço da cidadania. p. 179-219. São Paulo: Cortez. 2002.
______; LAYRARGUES, P. P. Mapeando as macro-tendências político-pedagógicas da educação ambiental contemporânea no Brasil. VI Encontro Pesquisa em Educação Ambiental. Ribeirão Preto, set. 2011.

LOWY, M. Crise ecológica, crise capitalista, crise de civilização: A alternativa ecossocialista. Caderno CRH, v. 26, n. 67, p. 79–86, 2013.

MERCADANTE, A. As Bases do Novo Desenvolvimentismo no Brasil: Análise do Governo Lula (2003-2010). Tese de Doutorado apresentada ao Instituto de Economia da Universidade Estadual de Campinas UNICAMP, p. 356, 2010.

MÉSZÁROS, I. Para além do capital: rumo a uma teoria da transição. 1. Ed. São Paulo, SP: Boitempo. 2011.

POCHMANN, M. Desafios do desenvolvimento brasileiro. Educação & Sociedade, v. 34, n. 124, p. 705–722, 2013.

PREBISCH, Rl. O Desenvolvimento Econômico da América Latina e Alguns de seus Problemas Principais. CEPAL, Boletim económico da América Latina, v. VII, p. 71–136, 1962.

SANTOS, D. A. Propaganda, Consumo e Sustentabilidade: Uma análise narrativa da publicidade como aporte à educação ambiental crítica. Pós- Graduação Stricto Sensu em Ensino de Ciências do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro-Campus de Nilópolis, p. 140, 2012.

VIEIRA FILHO, J. E. R.; VIEIRA, A. C. P. Evolução do Desempenho Comercial do Setor Agropecuário Brasileiro de 1990 a 2012. Boletim regional, urbano e ambiental, IPEA. Jul-dez, 2013.
Publicado
2020-06-11
Como Citar
da Silva Oliveira, T., & Maia do Bomfim, A. (2020). O Neodesenvolvimentismo do Agronegócio, a Sociedade do Consumo e o Ambiente:: reflexões para uma Educação Ambiental que se pretende Crítica. Revista Sergipana De Educação Ambiental, 7(1), 1 - 12. https://doi.org/10.47401/revisea.v9i1.13610