Espaços de resistência no currículo:

uma análise da inserção da educação ambiental nos cursos de graduação de uma universidade federal

Palavras-chave: Disciplina de educação ambiental., Ensino superior., Políticas públicas.

Resumo

O presente texto levanta e discute a inserção da educação ambiental como disciplina na Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO). Desse modo, investigamos a existência de componentes curriculares específicos de educação ambiental nos cursos de graduação, analisamos suas ementas e a relação delas com o contexto sociopolítico, a fim de discutir a presença da educação ambiental na formação profissional como um espaço de resistência. A metodologia de investigação foi a análise de conteúdo das ementas dos 91 cursos de graduação. Nessas, constatamos onze disciplinas com o termo ‘educação ambiental’ presente no título ou na ementa, das quais apenas seis estão vigentes nos currículos, de forma obrigatória ou optativa. A partir dos quadros de ataques ao que é público e ações de desmonte de políticas públicas e seus reflexos nas práticas educativas, vivemos o ‘não lugar da educação ambiental’ no cenário atual. Assim, a existência de disciplinas específicas de educação ambiental no currículo pode se constituir como um espaço de práticas de resistência, pois contribui para a manutenção da educação ambiental na formação e garante um espaço curricular para debate de temas relacionados ao campo. Além disso, compõe um contexto de prática das políticas públicas de educação ambiental que pode ensejar uma formação superior orientada a uma visão mais crítica do mundo, resistências e a permanência da educação ambiental.

Biografia do Autor

Tainá Figueroa Figueiredo, Universidade Federal do Rio de Janeiro

´Cientista Ambiental e Bióloga licenciada na Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, Mestranda em Educação em Ciências em Saúde no Instituto NUTES, Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Daniel Fonseca de Andrade, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro

Licenciado e Bacharel em Ciências Biológicas pela Universidade de São Paulo, campus de Ribeirão Preto; Mestre em Ciência Ambiental pela Universidade de South Bank, Londres, Inglaterra; Doutor em Ciência Ambiental pela Universidade de São Paulo. Professor do Departamento de Ciências do Ambiente da UNIRIO. Coordenador do LAPEAr, Laboratório de Ações e Pesquisas em Educação Ambiental.

Laísa Freire, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Bióloga, Mestra em Ciências e Doutora em Educação em Ciências e Saúde, Professora Adjunta, Programa de Pós-graduação em Educação em Ciências e Saúde, NUTES, Programa de Pós-graduação em Ciências Ambientais, NUPEM, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Brasil, Departamento de Ecologia.

Publicado
2020-06-11
Como Citar
Figueroa Figueiredo, T., Daniel Fonseca de Andrade, & Laísa Freire. (2020). Espaços de resistência no currículo:: uma análise da inserção da educação ambiental nos cursos de graduação de uma universidade federal. Revista Sergipana De Educação Ambiental, 7(1), 1 - 16. https://doi.org/10.47401/revisea.v9i1.13159