NOS ARCANOS DO IMPÉRIO, RACISMO E ESCRITA DE AUTORIA FEMININA NO ROMANCE DE EZILDA BARRETO

Resumo

Este artigo se dedica ao estudo do romance Nos Arcanos do Império, da escritora paraibana Ezilda Barreto. Ao tempo que nosso enfoque se volta para o mapeamento da escrita  de autoria feminina na Paraíba, no sentido de tornar visível escritoras invisíveis nos compêndios históricos da literatura brasileira; também analisamos uma narrativa paraibana de autoria feminina que problema o tema da escravidão e do racismo negro em tempos de regime imperial. Para fundamentar nossos posicionamentos sobre autoria feminina paraibana e racismo na literatura brasileira nos apoiamos em Heloísa Buarque de Hollanda e Lúcia Araújo, Marcos Odilon, Gemy Candido, Iris Vasconcelos e Silvana Souza, entre outras referências recorridas ao longo das análises.

PALAVRAS-CHAVE: Invisibilidade. Século XX. Autoria feminina paraibana. Racismo.

Biografia do Autor

Ana Patrícia Frederico Silveira, Instituto Federal do Sertão Pernambucano – IFSERTÃO/Campus Petrolina

Doutora em Letras pela UFPB; Professora do Instituto Federal do Sertão Pernambucano – Campus Petrolina; Líder do Grupo de pesquisa LEABRASIL/CNPq, além de membro dos GEAF – Grupo de Estudo de Autoria Feminina/CNPq, e  do Grupo de Pesquisa de Literatura Paraibana/CNPq.

Sávio Roberto Fonseca de Freitas, Universidade Federal da Paraíba - UFPB

Este artigo se dedica ao estudo do romance Nos Arcanos do Império, da escritora paraibana Ezilda Barreto. Ao tempo que nosso enfoque se volta para o mapeamento da escrita  de autoria feminina na Paraíba, no sentido de tornar visível escritoras invisíveis nos compêndios históricos da literatura brasileira; também analisamos uma narrativa paraibana de autoria feminina que problema o tema da escravidão e do racismo negro em tempos de regime imperial. Para fundamentar nossos posicionamentos sobre autoria feminina paraibana e racismo na literatura brasileira nos apoiamos em Heloísa Buarque de Hollanda e Lúcia Araújo, Marcos Odilon, Gemy Candido, Iris Vasconcelos e Silvana Souza, entre outras referências recorridas ao longo das análises.

PALAVRAS-CHAVE: Invisibilidade. Século XX. Autoria feminina paraibana. Racismo.

Referências

BARRETO, E. M. Nos arcanos do império. São Paulo: IBREX, 1981.

BARRETO, E.M.. O meu mundo é assim. São Paulo: Editora Soma, 1983.

BEIRIZ, A. In: ARANHA, M. A Panthera dos olhos dormentes. João Pessoa: Manufatura, 2005, P. 47.

CANDIDO, G.. História crítica da literatura paraibana. João Pessoa: A União Cia Editora, 1983.

CIPRIANO, M.S. O adultério e o fantasma da infidelidade (1920-1930). In: ABRANTES, A.; NETO, M. G. S. (orgs). Outras Histórias: cultura e poder na Paraíba (1889-1930). João Pessoa: Universitária/ UFPB, 2010.

ESPINDULA, D. V. I. Uma biblioteca e seus leitores: percurso de uma história, 1ª ed. Jundiaií/ São Paulo: Paco editorial, 2017.

FERREIRA, L.; ALVES, I.; FONTES, N. R. et al. Suaves Amazonas: mulheres e abolição da escravatura, no Nordeste. Recife: Editora Universitária UFPE, 1999.

HOLLANDA, H. B.; ARAÚJO, L. N. Ensaístas brasileiras: mulheres que escreveram sobre literatura e artes de 1860 a 1991. Rio de Janeiro: Rocco, 1993.

MARINHEIRO, E.. Prévio dicionário biobibliográfico do autor da microrregião do Agreste da Borborema. Campina Grande: UFPB/FURNE, 1982.

ODILON, M. Pequeno dicionário de fatos e vultos da Paraíba. Rio de Janeiro: Editora Cátedra, 1984.

RAGO, M. Ser mulher no século XXI ou Carta de Alforria. In: VENTURI, G.; RECAMÁN, M. e OLIVEIRA, S. (org). A mulher brasileira nos espaços público e privado. São Paulo: Fundação Perseu Abramo, 2004.

SALES, A. M. C. Tecendo fios de liberdade: escritoras e professoras da Paraíba no início do século XX. Recife: UFPE, 2005. (TESE DE DOUTORADO).

SALES, A. M. C. ONTEM E HOJE: MULHERES ROMANCISTAS NO COMBATE AO RACISMO. In: LIMA, T.; NASCIMENTO, I.; OLIVEIRA, A. Griots - culturas africanas: linguagem, memória, imaginário. 1.ed. Natal: Lucgraf, 2009, p.

SANTOS, I.et al. Antologia literária da Paraíba: para alunos do 2º grau. João Pessoa: Academia Paraibana de Letras, 1986. (Coleção Literatura Viva).

SANTOS, I. F. A literatura na Paraíba: ontem & hoje. João Pessoa: Fundação Casa de José Américo, 1989.

SANTOS, I. F. Dicionário literário da Paraíba. João Pessoa: A União, 1994.

SOUSA JR, J. C. Dicionário de escritoras paraibanas. João Pessoa: Editora Ideia, 2017.

VASCONCELOS, A. Da autora e sua importância nas letras paraibanas. IN: BARRETO, E. M. O meu mundo é assim. São Paulo: Editora Soma, 1983. (pp. 07-11).

VASCONCELOS, I.; SOUSA, S. V. Ventre livre e razão emancipadora: Mulher e Abolição na Parahyba do Norte. In: FERREIRA, L. G. et al. Suaves Amazonas: mulheres e abolição na escravatura do Nordeste. Recife: Ed. Universitária da UFPE, 1999, 141-170.

WOOLF, V. Profissões para mulheres e outros artigos feministas. Tradução: Denise Bottmann. Porto Alegre: L&PM, 2015.

Publicado
2020-10-28
Seção
Confluências da Literatura afro-brasileira