INSURGÊNCIAS LITERÁRIAS DE AUTORIA NEGRO-FEMININA

Resumo

A produção literária de algumas autoras negras brasileiras apresenta-se, frequentemente, marcada por uma gramática literária atravessada por táticas insurgentes de visibilidade e dessilenciamento de suas vozes autorais, bem como por temas e propósitos que se ancoram em tensionamentos do sexismo, a necropolítica e o racismo, com tons denunciativo e propositivo, e em poéticas de (re) existência, sonhos e memórias. Diante disso, este artigo faz leituras descritivo-interpretativas de algumas de suas tessituras poéticas, aportadas em princípios do devir-revolucionário (DELEUZE, 1990), resistências (FOUCAULT, 2002), (re) existência (SANTIAGO, 2018) e em algumas postulações da necropolítica (MBEMBE, 2018).

PALAVRAS-CHAVE: Poética de (re) existência. Insurgências. Escritoras Negras.

Biografia do Autor

Ana Rita Santiago, Universidade Federal do Recôncavo da Bahia - UFRB

Doutora em Letras (UFBA); Professora de Literatura Brasileira da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia. É líder do Grupo de Pesquisa Linguagens, Literaturas e Diversidades (CNPQ); Membro do GT da ANPOLL A mulher na Literatura.

Referências

DELEUZE, G.; NEGRI, T. O devir revolucionário e as criações políticas. Entrevista de Gilles D. e Toni N. Trad João H. Costa Vargas. Novos Estudos CEBRAP. São Paulo. N. 28, outubro 1990. p. 67-73.

FONSECA, J. Guerrear. In: BARBOSA, Cléa; FONSECA, J.; OLIVEIRA, L. Importuno Poético. 2 ed. rev. Salvador: Mandinga, 2012.

______, J. Meu confronto, meu conforto. In: BARBOSA, C.; FONSECA, J.; OLIVEIRA, L. Importuno Poético. 2 ed. rev. Salvador: Mandinga, 2012.

FOUCAULT, M. História da Sexualidade III – O Cuidado de Si. 7. ed. Rio de Janeiro: Graal, 1985.

______, M. Escritas de Si. In: O que é um autor? Portugal: 3 ed. Portugal, Lisboa: Vega, 1997.

______, Michel. Microfísica do poder. 17 ed. Rio de Janeiro: Grall, 2002.

JESUS, C. M. de. Quarto de Despejo. Diário de uma Favelada. 9. ed. São Paulo: Ática, 2007.

KILOMBA, G. Memórias da Plantação. Episódios de racismo cotidiano. Trad Jess Oliveira. Rio de Janeiro: Cobogó, 2019.

MBEMBE, A. Necropolítica. Artes & Ensaios. Revista do PPGAV-EBA-UFRJ, n. 32, dezembro, 2016.

______, A. Necropolítica. São Paulo: n-1 edições, 2018.

______, A. Crítica da razão negra. São Paulo: n-1 edições, 2018.

NATÁLIA, L. Asé. In: NATÁLIA, Lívia. Água Negra e Outras Águas. Salvador: EPP; Caramurê Publicações, 2016.

______, L. 23 minutos. In. NATÁLIA, Lívia. Sobejos do mar. Salvador: EPP, 2017.

OLIVEIRA, A. P. Resistência Preta. In: SARAU DA ONÇA (Org.). O diferencial da favela: dos contos às poesias de quebrada. Vitória da Conquista-BA: Galinha Pulando, 2019.

PRATES, L. perdi seu corpo negro. In: PRATES, Lubi. um corpo negro. São Paulo: nosotros editorial, 2019.

QUEIROZ, L. Tecitura. In: QUEIROZ, Louise. girassóis estendidos na chuva. Salvador: Boto-cor-de-rosa livros arte café; ParaLeLo13S, 2019.

SANTIAGO, A. R. Memórias poéticas de autoras negras: Reinvenções de (Re) Existências. Itinerários, n. 46, p. 35-50, jan-jun, 2018.

______, A. R. (Re) Existências e o Devir Revolucionário na Literatura Negro-Feminina. Fólio – Revista de Letras. V.10, n. 2, p. 11.33, jul-dez, 2018.

SOBRAL, C. Inusitada. In: ALVES, D.; NUNES, D.; PSEUDOPOETA, A.; SOBRINHO, C.; SOBRINHO, C.; et ali. Enegrescência – coletânea poética. Salvador: Editora Ogum’s Toques Negros, 2016.

SOUZA, J. As mortes brasileiras. In: SOUZA, Jovina. O Caminho das Estações. Itabuna-BA: Mondrongo, 2018.

______, J. Mulher negra em movimento. In: SOUZA, Jovina. O Caminho das Estações. Itabuna-BA: Mondrongo, 2018.
Publicado
2020-10-28
Seção
Confluências da Literatura afro-brasileira